6 – Ambientes para Crianças e Jovens

Um dos primeiros estudos da área que posteriomente seria chamada de psicologia ambiental tratou do Espaço de vida da criança urbana (vide Muchow & Muchow, 1998/1935 a seguir).
Evidentemente, esta lista não está completa, tampouco representa juízo de valor.
Caso você conheça algum trabalho interessante que deve ser incluído nesta lista, pedimos que entre em contato conosco.
Introduções

  • Altman, I., & Wohlwill, J. F. (Eds.). (1978). Children and the environment. Human behavior and environment: advances in theory and research, vol. 3. New York: Plenum.
  • Görlitz, D., Harloff, H. J., Valsiner, J., & Mey, G. (Eds.). (1997). Children, cities, and psychological theories: Developing relationships.Berlin and New York: de Gruyter.
  • Korpela, K. (2002). Children’s environment. Em R. B. Bechtel & A. Churchman (Eds.), Handbook of environmental psychology, (pp. 363-373). New York: Wiley.
  • Spencer, C., & Blades, M. (Eds.). (2002). Children and environments [Special Issue]. Journal of Environmental Psychology, 22(1-2).
  • Publicações / Publications
  • Alves, P. B., Koller, S. H., Silva, A. S., Reppold, C. T., Santos, C. L., Bichinho, G. S., Prade, L. T., Silva, M. R., Tudge, J. (1999). A construção de uma metodologia observacional para o estudo de crianças em situação de rua criando um manual de codificação de atividades  cotidianas. Estudos de Psicologia (Natal), 4(2), 289-310.
  • Disponível via http://www.scielo.br/epsic
  • Campos-de-Carvalho, M. I. (2003). Pesquisas contextuais e sus desafios: uma contribuição a partir de investigações sobre aranjos espaciais em creches. Estudos de Psicologia (Natal), 8(2), 289-297.
  • Disponível via http://www.scielo.br/epsic
  • Dargan, A., & Zeitlin, S. (1990). City play. New Brunswick, NJ: Rutgers U Press.
  • Gärling, T., & Valsiner, J. (Eds.). (1985). Children within environments: Toward a psychology of accident prevention. New York: Plenum.
  • *Günther, I. A., & Günther, H.(1997). What environment? What relationship?. Em D. Görlitz, H. J. Harloff, J. Valsiner, & G. Mey (Eds.). Children, cities, and psychological theories: Developing relationships. Berlin and New York: de Gruyter.
  • * Günther, I. A., Nepomuceno, G. M., Spehar, M. C., & Günther, H. (2003). Lugares favoritos de adolescentes no Distrito Federal. Estudos de Psicologia (Natal), 8(2), 299-308.
  • Disponível via http://www.scielo.br/epsic
  • * Günther, I. A., & Cunha, L. F. (2004). Onde encontrar os jovens na psicologia ambiental? Em H. Günther, J. Q. Pinheiro, & R. S. L. Guzzo, (Orgs.) Psicologia ambiental: entendendo as relações do homen com seu ambiente (pp. 147-166) Campinas, SP: Alínea.
  • Hart, R. A. (1997). Children’s Participation: The theory and practice of involving young citizens in community development and environmental care. London: Earthscan Publ.
  • Meneghini, R., & Campos-de-Carvalho, M. I. (2003). Arranjo espacial na creche : espaços para interagir, brincar isoladamente, dirigir-se socialmente e observar o outro. Psicologia: Reflexão e Crítica, (16)2, 367-378. Disponível via Scielo.
  • Mimica, V. (1992). Notes on children, environment and architecture. Delft: Publikatieburo Bouwkunde.
  • Muchow, M., & Muchow, H. H. (1998/1935). Der Lebensraum des Großstadtkindes [The life space of the urban child]. Weinheim: Juventa.
  • Pretty, G. H., Chipuer, H. M., & Bramston, P. (2003). Sense of place amongst adolescents and adults in two rural Australian towns: the discriminating features of place attachment, sense of community and place dependence in relation to place identity. Journal of Environmental Psychology, 23, 273-287.
  • Sager, F., Sperb, T. M., Roazzi, A. et al. (2003). Avaliação da interação de crianças em pátios de escolas infantis: uma abordagem da psicologia ambiental. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(1), 203-215. Disponível via Scielo.
  • Thurber, Ch. A. & Malinovski, J. C. (1999). Environmental correlates of negative emotions in children. Environment and Behavior, 31(4), 487-513.
  • Van Staden, F. J. (1984). Urban early adolescents, crowding and the neighborhood experience: A preliminary investigation. Journal of Environmental Psychology, 4, 97 118.
  • Well, N. M. (2000). At home with nature: effects of “greenness” on children´s cognitive functioning. Environment and behavior, 32(6) 775-795.
  • Wohlwill, J. F., & van Vliet, W. (Eds). (1985). Habitats for children: The impact of density. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum.
Revistas
  • Children, Youth and Environments
    http://www.colorado.edu/journals/cye/
    Esta revista começou como Chilren’s Environment Quarterly (1984-1991), depois foi publicado com o nome Em 2003 recomeçou, como revista online com o atual nome. Gradativamente, os trabalhos publicados até 1995 estarão disponíveis no Internet também.
    Initially published as Chilren’s Environment Quarterly (1984-1991), then as children’s Environment (1992-1995). Since 2003, the journal is published online and now containes the previous issues as well.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s